Rádio Cenecista de Picuí

VÍDEOS, FOTOS E MATÉRIAS TAMBÉM NO INSTAGRAM

SITE OFICIAL DA PREFEITURA DE NOVA PALMEIRA

quarta-feira, 29 de agosto de 2018

Pelo menos 69 venezuelanos refugiados chegam em João Pessoa e são levados para ONG

Capital paraibana é a cidade brasileira que vai receber mais imigrantes entre 27 e 30 de agosto
Foto: Alan Chaves/G1 RR
Venezuelanos embarcaram em avião da FAB rumo a outros três estados no 7º voo de interiorização
Pelo menos 69 venezuelanos refugiados chegaram em João Pessoa por volta das 20h45 desta terça-feira (28), vindos de Boa Vista, em Roraima. De acordo com o Governo Federal, a capital paraibana é a cidade brasileira que mais vai receber imigrantes que fogem da crise da Venezuela. Eles chegaram em dois ônibus do Exército Brasileiro, com destino à Organização Não-Governamental (ONG) Aldeia Infantil SOS, no bairro de Mangabeira.


Com esta nova etapa, o número de imigrantes que consentiram com a transferência irá superar 1 mil desde abril, quando começou o processo de interiorização. Antes de João Pessoa, a cidade do Conde, na Região Metropolitana da capital paraibana, havia recebido 44 venezuelanos.

O voo da FAB deixou os venezuelanos no Recife, em Pernambuco, e eles foram trazidos para a Paraíba de ônibus, com escolta da Polícia Rodoviária Federal (PRF). Foi montado um esquema de segurança pelo Exército, que fechou o trânsito no local enquanto os ônibus entravam no local onde as famílias vão ficar abrigadas.

Com base em informações repassadas pela Aldeia Infantil SOS, as 69 pessoas que chegaram a João Pessoa fazem parte de 15 grupos familiares, que estavam em Boa Vista entre 2017 e 2018. Ao todo, 14 bebês (0-05 anos), 17 crianças (06-14), 8 jovens (15-21), 30 adultos (22-60). O número informado pela Casa Civil é de que 71 venezuelanos desembarcaram na Paraíba.

De acordo com a Casa Civil, a partir de setembro, 400 pessoas vão ser transferidas todas as semanas, e os imigrantes vão continuar recebendo o apoio das cidades de destino, do governo e dos abrigos para que tenham acesso aos direitos básicos, como saúde e educação, e entrem no mercado de trabalho.

G1 PB

Nenhum comentário:

Postar um comentário