Rádio Cenecista de Picuí

VÍDEOS, FOTOS E MATÉRIAS TAMBÉM NO INSTAGRAM

SITE OFICIAL DA PREFEITURA DE NOVA PALMEIRA

quarta-feira, 24 de julho de 2019

Universidade tem cerca de 400 animais abandonados no campus, diz comissão

Estimativa é de que hajam aproximadamente 350 gatos e 50 cães nas dependências da instituição
Foto: Divulgação 
Em dias de chuva, animais se aglomeram no CCJ
O presidente da Comissão de Direito e Bem-estar Animal da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), Francisco Garcia, denunciou o alto número de animais abandonados no Campus I, em João Pessoa. Segundo ele, a estimativa é de que haja aproximadamente 350 gatos e 50 cães nas dependências da instituição.

“Muitos dos gatos contraíram esporotricose, doença grave causada por um fungo. O ser humano também pode ser afetado, então esse problema virou uma questão de saúde pública. Infelizmente, a UFPB não se importa com o abandono de animais. Essa luta já dura 35 anos e nada é feito para combater a situação”, explicou.

Além do risco de transmissão da esporotricose, existem transtornos causados pela ferocidade de alguns cães, o que tem gerado reclamações por parte dos diretores de centros da instituição. “Temos registro de que cinco pessoas foram feridas por um cão no Centro de Ciências da Saúde (CCS). Em outra situação, no Centro de Ciências Sociais Aplicadas (CCSA), cães atacaram ao menos sete pessoas”, relatou.

Ainda de acordo com Francisco Garcia, a comissão já tentou diálogo com a reitoria da universidade, mas sem sucesso. “Por isso, formulamos uma denúncia junto ao Ministério Público Federal (MPF). Houve uma audiência no dia 10 de julho e algumas condutas foram alinhadas, mas nada de concreto”, completou.

Outro lado
A reitora da UFPB, Margareth Diniz, disse à reportagem que o problema é antigo e não depende somente da instituição. “A gente vem tratando isso ao longo de muitos anos. Primeiro, é uma questão de educação das pessoas, que muitas vezes não querem mais os animais em casa e deixam eles aqui na UFPB. Aqui no campus nós temos muitos saguis, bichos-preguiça e outros animais que são nativos da área, mas cães e gatos não são”.

Segundo Margareth, a UFPB tem campanha através de placas, folders e panfletos explicativos pedindo para que a população não abandone os animais na UFPB. “Existe ainda a Comissão de Bem Estar Animal que vem adotando algumas medidas para solucionar o problema”, finalizou.

Portal Correio

Nenhum comentário:

Postar um comentário