Rádio Cenecista de Picuí

VÍDEOS, FOTOS E MATÉRIAS TAMBÉM NO INSTAGRAM

SITE OFICIAL DA PREFEITURA DE NOVA PALMEIRA

segunda-feira, 23 de dezembro de 2019

Conheça a história de Rafael Cocadeiro, ex-dependente químico que hoje faz sucesso vendendo deliciosas cocadas

Cocadeiro é sucesso com venda de cocadas e com postagens irreverentes em redes sociais

Rafael, Bruna e Neide
(Foto: Rafael Cocadeiro)
“Eu ainda não cheguei lá, mas estou mais perto do que ontem.”

Usando essa frase como bandeira, o paraibano Rafael Santos, ou simplesmente Rafael Cocadeiro, de 35 anos, natural de Campina Grande, não esconde a sua história de superação.

Evidenciando problemas sociais, como a pobreza e o uso de drogas, o menino Rafael passou por narrativas conturbadas, até chegar ao Rafael Cocadeiro, que hoje se destaca vendendo suas deliciosas iguarias pelas regiões do Seridó e Curimataú, e divulgando o seu trabalho nas redes sociais.

Cocadeiro nasceu em Campina Grande, em 1º de novembro de 1984, mas viveu a primeira infância no sítio Cacimbão, distante sete quilômetros de Cubati, quando foi morar em 1992 com os irmãos, em sua terra natal.

Com os manos, ficou dos oito aos 16 anos, quando foi residir com sua mãe Antônia, no bairro Araxá, também em Campina, ocasião que começou a história das cocadas.

Sobreviveu com as vendas dos doces entre os 16 até 19 anos, quando, após a aposentadoria de dona Antônia, se estabeleceu em Cuité.

Em 2005, aos 21 anos, ainda solteiro, foi para o Mato Grosso lidar com o trato da cana de açúcar. Depois de seis meses voltou para Cuité, oportunidade que conheceu a esposa Josineide dos Santos Assis.

Com a necessidade imposta pelas condições de vida, Rafael voltou ao Centro Oeste, agora para Goiás, deixando a esposa grávida de Rafaela Bruna, para trabalhar novamente no plantio e corte de cana-de-açúcar.

Em 2007, Rafael recebeu no estado goiano, a companhia de Neide e da filha Bruna.

Três anos mais tarde, com a dependência química tomando conta de sua vida, Rafael retornou a Cuité com a família, com uma mão na frente outra atrás.

Tempos depois, já em 2011, se mudou para o sítio da família, o Cacimbão, município cubatiense, onde com a ajuda de parentes e amigos conseguiu erguer uma pequena galeria.

Só que o álcool e as drogas insistiam em dominá-lo. Comumente era visto em farras, em estado alterado e preocupante.

Vendo que sua saúde corria sérios riscos, e querendo dar um futuro digno a sua esposa e filha, Rafael colocou um propósito firme em sua vida e, em outubro de 2016, deixou o vício de lado e voltou a vender cocadas em Cubati, para sobreviver.

Com um sabor de dar água na boca, as vendas foram aumentando cada vez mais, até o comerciante perceber a necessidade de expandir o negócio para os municípios vizinhos.  

Sempre ao lado da esposa e da filha, hoje com 13 anos, não é raro realizar sorteios em grupos de WhatsApp, para participantes das mais diversas localidades, onde os premiados são privilegiados com as cocadas, nos sabores coco (tradicional), coco queimado e coco com goiaba.

Ao tempo que vende, o irreverente Cocaderio se une a Neide e Bruna, e cria filmes cômicos onde são postados em redes sociais. No Facebook, o primeiro vídeo postado pelo trio obteve mais de 2 milhões e meio de visualizações.

As dificuldades do trabalho na adolescência, o aliciamento para o mundo do álcool e das drogas, e a conquista da liberdade econômica, quando tem a ideia de retornar ao ramo das cocadas junto com a esposa e a filha, são destaques nessa história de superação do hoje adulto e bem sucedido comerciante, Rafael dos Santos, o Rafael Cocadeiro.

Blog NP / Conecta PB

Um comentário: