Rádio Cenecista de Picuí

VÍDEOS, FOTOS E MATÉRIAS TAMBÉM NO INSTAGRAM

SITE OFICIAL DA PREFEITURA DE NOVA PALMEIRA

quinta-feira, 26 de dezembro de 2019

Sancionada lei que denomina estrada entre Picuí e Nova Floresta de "Basto Cazuza"; idealizador Aldemir fala sobre homenagem

Lei nº 11.599 denomina Rodovia PB-151, de "Prefeito Sebastião Ramos Dantas - Basto Cazuza"

Ideia da homenagem partiu do vereador Aldemir
Foto: Divulgação/Assessoria
A edição do Diário Oficial do Estado da Paraíba (DOE-PB) da última terça-feira (24), trouxe a publicação da Lei nº 11.599, de 23 de dezembro de 2019, que denomina a Rodovia PB-151, estrada que liga Picuí, no Seridó, a Nova Floresta, no Curimataú paraibano, de "Rodovia Prefeito Sebastião Ramos Dantas - Basto Cazuza".

A ideia de homenagear o saudoso Basto Cazuza, ex-prefeito de Picuí, partiu do vereador Aldemir Macedo (Avante), que logo solicitou por meio do Requerimento nº 031/2019 ao deputado estadual Buba Germano (PSB) que apresentasse um Projeto de Lei na Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB) com essa finalidade. O pleito foi prontamente atendido por Buba, que logo apresentou PL. Agora, com a sanção da Lei, o governador João Azevêdo fez com que o sonho de uma família e de diversos picuienses se tornasse uma realidade.

Segundo Buba, "o PL foi apresentado com antes mesmo que a obra começasse por uma questão de justiça e de reconhecimento, por se tratar de uma homenagem a um ex-prefeito, a uma pessoa humilde, do povo, que tanto ajudou a construir a história da cidade".

Para Aldemir, "essa realidade representa uma singela homenagem, mas de tamanha importância já que se trata de uma homenagem a um homem que tanto fez pelo seu município".

A ordem de serviço das obras da PB-151 foi uma das primeiras dadas pelo governo João Azevêdo e será construída com recursos próprios do Estado, contando com investimentos em torno de R$ 18 milhões.

Biografia do saudoso Basto Cazuza
Sebastião Ramos Dantas, popularmente conhecido como “Basto Cazuza”, era natural do sítio Estrondo, município de Nova Floresta/PB, filho de Manoel Ramos Dantas e Josefa Anália Dantas, nasceu no dia 10 de novembro de 1940, foi casado com Maria Eunice da Silva e tiveram cinco filhos.
 
Basto Cazuza
As primeiras atividades profissionais iniciaram ainda muito jovem, trabalhando na agropecuária ao lado de seu pai. Desenvolveu outras atividades laborais, morou em São Paulo, onde exerceu a profissão de servente de pedreiro, retornando a terra natal dedicou-se ao cultivo de sisal, tornando um dos maiores produtores da década de 80, e por fim por vontade própria foi caminhoneiro.

O início da vida pública se deu a partir de 1963, já casado, por incentivo do sogro o Sr. Macário Zulmiro da Silva, personalidade importante da época e fundador do Povoado de Olho D’água das Onças, (atual Distrito de Santa Luzia do Seridó), exercendo o mandato de vereador pelo antigo PSD (Partido Social Democrático).

No período de 1969 a 1973 foi novamente eleito vereador, desta vez filiado à antiga ARENA (Aliança Renovadora Nacional), militante nesta sigla partidária até sua extinção. De 1973 a julho de 1974, foi vice-prefeito, assumindo em julho de 1974 a 1977 o mandato de prefeito. No dia 15 de novembro 1982 elegeu-se prefeito, concluindo seu mandato em 31/12/1988.

Durante seu primeiro mandato na década de 70, promoveu importante mudança na Vila de Santa Luzia, município de Picuí, a exemplo da rede elétrica, calçamento, Centro de Saúde, Posto dos Correios, poste de telefonia, dentre outras igualmente importantes que fizeram com que o morador do povoado tivesse acesso aos serviços nunca antes experimentados e consequentemente, tirasse aquele povoado do isolamento, restando o tão sonhado asfalto.

No segundo mandato outras obras foram erguidas, como perfurações de poços artesianos que garantiram água para a população, que sofria com grandes estiagens, as quais comprometiam a garantia do sustento de muitos, que viviam exclusivamente da agricultura e a construção de uma escola para atender antigo anseio da população que necessitava se dirigir a cidades como Picuí e Nova floresta para ter acesso aos estudos.

No ano de 1977, após entregar a prefeitura, fixou residência, junto com a família, no povoado de Vila de Santa Luzia, onde já moravam os pais de sua esposa, desta forma, desenvolveu o cultivo do sisal, tornando a região um importante produtor, destacando-se inclusive a nível regional.

Em toda a vida pública, manifestou interesse pelo desenvolvimento da Vila de Santa Luzia, pela qual tinha muito amor e dedicação. Um dos seus sonhos era alcançar o asfalto que liga a cidade de Picuí a Nova floresta, passando pela Vila de Santa Luzia, infelizmente, esse sonho nunca foi realizado. Mas, sempre foi um defensor e lutou para torna-se realidade. Faleceu em 07/03/2012, tendo como causa morte falência múltiplas dos órgãos, após complicações cardíacas.

Marcílio Araújo - Portal Picuí Hoje

Nenhum comentário:

Postar um comentário