Rádio Cenecista de Picuí

VÍDEOS, FOTOS E MATÉRIAS TAMBÉM NO INSTAGRAM

SITE OFICIAL DA PREFEITURA DE NOVA PALMEIRA

domingo, 5 de janeiro de 2020

Mulher de 19 anos mata companheiro com tiro e é presa após ligar para a polícia no Seridó do RN

Caso aconteceu na noite de sábado (4) em Caicó, na região Seridó potiguar. Polícia Civil trata o caso como 'legítima defesa'
Foto: Reprodução/Redes sociais 
Ailton Arthur Dantas Santos,
de 25 anos, foi morto pela
companheira em Caicó, RN.
Polícia Civil acredita em
legítima defesa da mulher
Uma jovem de 19 anos foi presa na noite deste sábado (4) em Caicó, na região Seridó potiguar, após matar o companheiro dela a tiros e, em seguida, ligar para a polícia. O caso aconteceu na Zona Norte da cidade. Apesar da detenção, a Polícia Civil trata o caso como legítima defesa.

De acordo com a versão contada pela jovem à polícia, o crime teria sido motivado pela violência do homem contra ela. Segundo a Polícia Civil, Ailton Arthur Dantas Santos, de 25 anos, tinha uma arma de fogo registrada. Durante uma briga, a mulher teria alcançado a pistola e disparado um tiro contra ele.

Após ligar para a polícia, a mulher permaneceu no local e foi levada à delegacia de plantão, onde confessou o crime e permanecia detida na manhã deste domingo (5).

Segundo a Polícia Civil, ela informou que tinha um relacionamento de aproximadamente dois anos com o homem. Eles moraram juntos um tempo, logo no início do namoro, mas haviam se separado, porque o homem a maltratava. Apesar de não agredi-la fisicamente, seria violento nas palavras.
O casal havia retomado o relacionamento há cerca de um mês e voltou a morar junto. Porém o homem teria ficado excessivamente ciumento, chegou a agredi-la fisicamente, inclusive com faca e ameaçá-la com arma de fogo.

Durante uma briga, que envolvia uma dessas ameaças, neste sábado (4), a mulher alcançou a arma que o homem havia soltado e atirou contra ele.

A princípio, a Polícia Civil informou que o caso é considerado legítima defesa, porém a mulher permaneceu detida para o caso também ser avaliado pelo judiciário.

G1 PB

Nenhum comentário:

Postar um comentário