Rádio Cenecista de Picuí

VÍDEOS, FOTOS E MATÉRIAS TAMBÉM NO INSTAGRAM

SITE OFICIAL DA PREFEITURA DE NOVA PALMEIRA

sábado, 25 de julho de 2020

Duas cobras exóticas são apreendidas no Recife em caixas enviadas pelos Correios

Segundo Agência Pernambucana do Meio Ambiente (CPRH), serpentes são das espécies Corn Snake e King Snake, que foram levadas para centro de triagem

King Snake foi levada para o Cetas/Tangará, centro de referência
da Agência Pernambucana do Meio Ambiente (CPRH), no Recife
Foto: CPRH/Divulgação
Duas serpentes exóticas, que não fazem parte da fauna brasileira, foram apreendidas no Centro de Distribuição dos Correios, no Prado, na Zona Oeste do Recife. Segundo a Agência Pernambucana de Meio Ambiente (CPRH), as cobras traficadas estavam em encomendas enviadas de São Paulo e tinham como destinos os municípios de Paulista, na Região Metropolitana, e Garanhuns, no Agreste.

Em julho deste ano, um caso envolvendo uma cobra exótica chamou a atenção no Brasil. Um estudante de medicina veterinária, do Distrito Federal, foi picado por uma naja, considerada uma das mais venenosas do mundo. O rapaz foi internado em estado grave em um hospital particular, no Gama.

As serpentes apreendidas na capital pernambucana são de duas espécies: Corn Snake (Pantheropis guttatus) e King Snake (Genus Lampropeltis). Os animais foram encaminhados ao Centro de Triagem de Animais Silvestres, Cetas/Tangará, unidade da CPRH, na Zona Norte do Recife.

A apreensão ocorreu na quinta-feira (23) e foi divulgada nesta sexta-feira (24) pela CPRH. A ação ocorreu depois de um alerta feito a agentes do Instituto Brasileiro dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama).

A CPRH informou que funcionários dos Correios acionaram o Ibama, após perceberem a presença dos animais nas caixas. As embalagens passaram pelo raio-X, um procedimento de rotina da empresa.

As pessoas que enviaram as cobras pelos Correios não tiveram nomes divulgados pela CPRH. A agência também não informou quem receberia as serpentes, em Pernambuco.

De acordo com o gestor do Cetas/Tangará, Yuri Valença, as serpentes são exóticas e não podem ser soltas na natureza, em território brasileiro. Por isso, serão encaminhadas para criadouro legalizado.

A agência informou que a compra e a venda de animais silvestres sem autorização são crimes ambientais. Os infratores podem pegar penas que vão de três meses a um ano de prisão, além de multa.

O caso não foi registrado nem pela Polícia Civil nem pela Polícia Federal. A PF informou que só poderia fazer a investigação, caso as cobras estivessem na lista de espécies ameaçadas de extinção.

O G1 procurou o Ibama e os Correios, mas não recebeu resposta até a última atualização desta reportagem.

Espécies
A cobra-do-milho ou cobra-do-milharal (Pantheropis guttatus) é uma espécie da familia Colubrinae. Ela captura a presa por constrição. Pode ser encontrada pela região sudeste dos Estados Unidos.

As cobras-reis não têm veneno. Elas integram o gênero Lampropeltis, que inclui cobras de leite e quatro outras espécies. Também são reconhecidas cerca de 45 subespécies.

Segundo Yuri Valença, as duas cobras não têm veneno e não são ofensivas ao ser humano. "A King Snake é do México e se alimenta de aves. A Corn Snake, como diz o nome, vive entre as plantações de milho, nos Estados Unidos", afirmou.

G1 PE

Nenhum comentário:

Postar um comentário