Rádio Cenecista de Picuí

VÍDEOS, FOTOS E MATÉRIAS TAMBÉM NO INSTAGRAM

segunda-feira, 14 de dezembro de 2020

Após show com multidão em estádio municipal, Prefeitura na PB decreta proibição de eventos com aglomeração durante pandemia

A decisão foi tomada também considerando o aumento de casos da Covid-19 observado em demais municípios do Sertão do Estado. O novo decreto, de nº 1.235/202, proíbe a realização de novos eventos culturais e de entretenimento que possam gerar aglomeração, notadamente shows e demais apresentações artísticas

Segundo o Boletim de Saúde divulgado nas últimas 24h,
a cidade tem conta com mais de 3.665 casos confirmados
e mais de 40 mortes, e a ocupação de leitos
em torno de 30%. - Foto: Reprodução/Instagram

Após um show que reuniu milhares de pessoas sem máscaras no Estádio Municipal Pedro Eulâmpio da Silva, conhecido como “O Pedrão”, a Prefeitura de São Bento emitiu nesta segunda-feira (14), uma nota de esclarecimento e um novo decreto cancelando shows e eventos culturais no município. A decisão foi tomada também considerando o aumento de casos da Covid-19 observado em demais municípios do Sertão do Estado. O novo decreto, de nº 1.235/202, proíbe a realização de novos eventos culturais e de entretenimento que possam gerar aglomeração, notadamente shows e demais apresentações artísticas.

De acordo com a nota obtida pelo ClickPB, a Prefeitura explica que o evento foi privado e não teve nenhuma parceria com a sua realização. Também destaca que foram liberados eventos que obedecessem as recomendações sanitárias de combate à covid-19, bem como que, a intensão da liberação de alguns eventos se manteve pela preocupação com a manutenção do emprego e renda, e que essa área de eventos representa a sobrevivência de 500 famílias na cidade. 

"A liberação condicionada da realização de eventos culturais e de entretenimento se deu no intuito de conciliar a proteção à saúde com a proteção ao emprego e renda e, sobretudo, atendendo ao pleito de um segmento do qual dependem mais de 500 famílias na nossa Cidade — composto por músicos, garçons, seguranças, produtores, sonorizadores, pequenos comerciantes de bebidas e lanches, ambulantes, dentre outros —, que estavam há mais de 8 meses sem poder trabalhar e sem nenhuma renda", argumenta a nota, destacando que por conta dos indícios de descumprimento das medidas sanitárias "a responsabilidade pela desobediência e descumprimento será apurada pelos meios institucionais", alerta. 

Segundo o Boletim de Saúde divulgado nas últimas 24h, a cidade tem conta com mais de 3.665 casos confirmados e mais de 40 mortes, e a ocupação de leitos em torno de 30%.

Emmanuela Leite - ClickPB

Nenhum comentário:

Postar um comentário