Rádio Cenecista de Picuí

VÍDEOS, FOTOS E MATÉRIAS TAMBÉM NO INSTAGRAM

terça-feira, 19 de janeiro de 2021

Enfermeira é a primeira vacinada contra Covid-19 na PB: 'Lembrem-se que a pandemia não acabou'

Enfermeira Marineide Rodrigues Gouveia Ferreira, de 60 anos, foi a primeira pessoa a se vacinar contra a Covid-19 na Paraíba, nesta terça-feira (19)

Marineide Gouveia é a primeira vacinada contra a
Covid-19 na Paraíba - Foto: Reprodução/TV Cabo Branco

A enfermeira Marineide Rodrigues Gouveia Ferreira, de 60 anos, foi a primeira pessoa a se vacinar contra a Covid-19 na Paraíba, nesta terça-feira (19). Ela é enfermeira há 17 anos e trabalha há dez meses na linha de frente da doença, no Hospital Clementino Fraga. "Todos nós, unidos, com uma causa de salvar vidas, enfrentamos a pandemia. Fui, com a equipe, tentando, na medida do possível, prestar nossa assistência. Não foi fácil. Foi muito lamentável, vendo tantas vidas ceifadas. Lembrem-se que a pandemia não acabou e que todos devem seguir rigorosamente todas as recomendações da Vigilância Sanitária", declarou.

Se Inscreva no Canal do Blog NP no YouTube, onde a Paraíba é destaque

👇🏿👇🏿👇🏿

https://www.youtube.com/channel/UC_AiaIIqY22lPguWaW1isVQ/

Marineide Gouveia recebeu a dose durante uma solenidade realizada na sede da Secretaria de Estado da Saúde (SES), em João Pessoa. Logo em seguida, o índio potiguara Genildo Avelar, de 44 anos, também foi vacinado. Ele é da Aldeia Carneira, no município de Marcação, e faz parte do grupo de risco, sendo hipertenso e diabético.

As duas pessoas foram vacinadas pela enfermeira Keila Campos, que trabalha no Núcleo de Imunização da Paraíba há 23 anos.

A primeira dose da CoronaVac foi aplicada horas depois de o primeiro lote do imunizante, com 92.960 mil doses, chegar à Paraíba em um voo na noite de segunda-feira (18). O avião com o carregamento aterrissou no Aeroporto Internacional Castro Pinto por volta das 21h20.

"Pela primeira vez, desde que começou a pandemia, começamos a ter, de verdade, um instrumento para enfrentar essa pandemia tão terrível", declarou o governador da Paraíba, João Azevêdo (Cidadania).

Índio potiguara Genildo Avelar foi o segundo a ser
vacinado na Paraíba - Foto: Reprodução/TV Cabo Branco

Nesta segunda-feira, a Paraíba recebeu 92.960 doses da vacina Coronavac. Serão contemplados com essa primeira remessa 34% do previsto dos trabalhadores da saúde, ou seja, 42.925 profissionais, 10.432 indígenas aldeados, 1.212 pessoas idosas em instituições e 120 pessoas com deficiência que estejam em instituições.

A distribuição das vacinas deve começar de forma imediata para os 223 municípios paraibanos, conforme informou o governador João Azevêdo (Cidadania). Para isso, 11 veículos refrigerados vão levar os imunizantes para as 12 centrais regionais de saúde. De acordo com o governador, os municípios estão liberados para iniciarem a vacinação, desde que estejam com a estrutura pronta, assim que receberem as doses.

As primeiras vacinas serão aplicadas em 54.689 paraibanos, representados por 42.925 trabalhadores de saúde, 10.432 indígenas aldeados, 1.212 pessoas idosas institucionalizadas e 120 pessoas com deficiência institucionalizadas. O registro das doses aplicadas será nominal e individualizado, por meio do número do Cartão Nacional de Saúde ou número do CPF do usuário.

Cada município vai receber uma quantidade de doses da vacina proporcional a quantidade de pessoas que fazem parte do grupo prioritário.

Em toda a Paraíba, são mil salas de vacinação, que devem receber lotes de forma quase simultânea.

O plano de imunização estadual está dividido em quatro fases. A primeira, prioritária, possui dois grupos e contempla os trabalhadores de saúde e os povos de comunidades tradicionais. A expectativa do governo estadual é de que 34% dos profissionais de saúde sejam vacinados na primeira etapa da vacinação.

Já a segunda fase é formada por pessoas com 60 anos que morem em instituições de permanência de longa duração e população em geral com mais de 75 anos.

A CoronaVac foi desenvolvida pelo laboratório chinês Sinovac. No Brasil, ela está sendo produzida pelo Instituto Butantan, em São Paulo. O uso emergencial do imunizante foi aprovado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) no domingo (17). A agência também autorizou o uso emergencial da vacina de Oxford.

G1 PB

Nenhum comentário:

Postar um comentário