Rádio Cenecista de Picuí

VÍDEOS, FOTOS E MATÉRIAS TAMBÉM NO INSTAGRAM

quinta-feira, 15 de abril de 2021

Vítima de complicações da Covid-19, Damaceno é homenageado pelo primo Raony

No texto divulgado no início da noite dessa quarta-feira, 14 de abril, Raony fala sobre a trajetória de vida de Dema

Dema - Reprodução/Facebook: Raony

O primo de José Damaceno (Dema), José Raony Borges, publicou um depoimento sobre a partida precoce do primo-irmão, aos 48 anos de idade, motivado por complicações da Covid-19.

Raony o considerava o irmão mais velho
Foto: Facebook/Raony

No texto divulgado no início da noite dessa quarta-feira, 14 de abril, Raony fala sobre a trajetória de vida de Dema e até comenta de um acidente gravíssimo, quando o primo foi atropelado por um ônibus na BR-230 entre Campina e João Pessoa.

Abaixo o texto na íntegra:

“Damaceno foi feliz em sua vida, apesar das agruras das ausências paternas e das lutas que sempre travou para sobreviver. Criado por nossa vó materna (que sempre a teve como mãe), Dona Nanzinha de Manoel Borges, desde os seus três anos de vida. Minhas primeiras lembranças da infância estão lá minha mãe e Damaceno e, apesar dele ser um primo e 13 anos mais velho, o tinha como um irmão, pois fomos criados juntos na mesma casa. Ele soube crescer no caminho certo e se tornou um homem de caráter, espirituoso e de bem. Padeiro de profissão, era sempre muito querido por seus ex patrões que se tornaram todos amigos como Kiko de Argenor, Hélio de Chaguinha, Rico e Guiomar, entre outros que tiveram a alegria diária de tê-lo em seu convívio. Adorava uma diversão! Quem nunca deu boas gargalhadas com Damaceno e seu amigo Tantico "rezando uma missa" no meio da bebedeira? Comemorar seu aniversário dia 1° de outubro, era sempre uma forma de receber seus amigos em casa e fazer aquela farra que ele adorava! Considerava muito seus amigos (que eram muitos), cultivava um carinho especial por Vanidinho e sua esposa Rafaela Passos (seus compadres), mas seria pouco diante de muitos de seus amigos próximos que ele tinha em seu convívio normal, cotidiano, afora todos que sempre lembrava com carinho e estavam longe.

Dema com Vanidinho e Rafaela - Foto: Facebook/Raony

E a "Mais Bela Vós"? Sempre participava de todas as edições e se vangloriava de dois troféus que ganhou e estão na casa de minha mãe, seria impossível uma edição e ele não estar presente. Se tinha um convite para uma festinha, alguém tocando um violão (de preferência o amigo Chico cantor, de Nova Palmeira) era fácil e sempre divertido de ouvir cantar, pois, a pesar da "gagueira", era um ótimo cantor! Entre altos e baixos da vida, passou por poucas e boas. Das vezes que se acidentou e chegou a ficar em coma, contava aos amigos de forma engraçada, não se importava, pois tinha escapado de varias e não temia a morte, como ele dizia. Damaceno brincou até quando saiu na ambulância para ser internado por conta da Covid: "diga a elas aí, Raony, pelas as coisas que eu já passei. Não tenho medo desse vírus, não". Infelizmente, meu primo, esse terrível mal que assola o mundo te levou, nos deixando tristes com sua partida precoce, aos 48 anos. Mas vá na certeza que seu legado de alegria e seu carisma está sempre em nossos corações e mentes. Que todos os seus pecados sejam perdoados e nos reencontraremos um dia. Deus sempre conosco!” 

Blog NP

Nenhum comentário:

Postar um comentário